Fantasporto 2018 – Vencedores e horários das sessões dos filmes premiados.

Fantasporto 2018 – Vencedores e horários das sessões dos filmes premiados.

Chega amanhã ao fim a 38ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, e já existe palmarés. Antes de o divul. [...]

Fantasporto 2018 – Dias 1, 2 e 3.

Fantasporto 2018 – Dias 1, 2 e 3.

Concluímos a divulgação da programação do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, no Grande Auditório do Rivoli – Te. [...]

A Floresta Das Almas Perdidas – Terror Luso, Melancólico e Poético.

A Floresta Das Almas Perdidas – Terror Luso, Melancólico e Poético.

Há alguns anos que conheço e acompanho o trabalho do José Pedro Lopes e do Anexo 82. Com uma interessante colecção de curtas-metragens no . [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Cinema 2011 – O Veredicto do laxanteCULTURAL.

em: 2012/01/24 | por: | em: Cinema, Crítica, Fantasporto | Sem comentários em Cinema 2011 – O Veredicto do laxanteCULTURAL. | lido: 2.256 vezes

Antes de mais, eu sei que já não é altura para trazer aqui as minhas listas de melhores e piores de 2011, mas, e como diz o ditado, mais vale tarde que nunca, aqui ficam:

Os Melhores.

1 – “Drive” – “Drive – Risco Duplo” (Nicolas Winding Refn).

2 – “Melancholia” – “Melancolia” (Lars Von Trier).

3 – “Black Swan” – “Cisne Negro” (Darren Aronofsky).

4 –  “La piel que habito” – “A Pele Onde Eu Vivo” (Pedro Almodóvar).

5 – “Midnight in Paris” . “Meia-Noite em Paris” (Woody Allen).


6 – “Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora É Outro” (José Padilha).

7 – “Monsters” – “Monsters – Zona Interdita” (Gareth Edwards).


8 – “Valhalla Rising” – “Valhalla Rising – Destino de Sangue” (Nicolas Winding Refn).

9 – “Exit Through the Gift Shop” – “Banksy – Pinta a Parede!” (Banksy).


10 – “Super 8” (J. J. Abrams).

Nomeio ainda quatro menções honrosas: “The Ides Of March” – “Nos Idos de Março” (George Clooney); “Rise Of The Planet Of The Apes” – “Planeta Dos Macacos – A Origem” (Rupert Wyatt); “Blue Valentine” – “Blue Valentine – Só Tu e Eu” (Derek Cianfrance); “Contagion” – “Contágio” (Steven Soderbergh). Destaco ainda um filme que não teve distribuição comercial em Portugal (e, se tudo correr bem, não terá), mas que foi um dos acontecimentos cinematográficos do ano, exibido três vezes no último Fantasporto: “Srpski film” – “A Serbian Film” ( Srdjan Spasojevic) não deixou ninguém indiferente, e suscitou a discussão sobre os mais variados assuntos, com destaque para a liberdade de expressão. Escrevi sobre ele aqui e aqui.

Os Piores.

Nas escolhas dos piores, destaco apenas alguns filmes que tinham obrigação de ser bem melhores: “The Rite” – “O Ritual” (Mikael Håfström); “The Tempest” – “A Tempestade” (Julie Taymor); “Camino” (Javier Fesser); “Trespass” – “Transgressão” (Joel Schumacher); “The Hangover Part II” – “A Ressaca – Parte II” (Todd Phillips).

E pronto, para o ano há mais, de preferência sem atrasos da minha parte.

Deixe um comentário