Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Chegou a altura do ano em que vos faço algumas recomendações para o Halloween. Desta vez, e porque o Netflix se tem tornado uma plataforma ca. [...]

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Termina este domingo mais uma edição do Fantasporto, a 37ª, com a exibição de alguns filmes premiados. A entrega de prémios decorreu este. [...]

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

Foi em 2001 que a BMW revelou Clive Owen ao mundo, numa série de curtas-metragens onde um exímio motorista de aluguer era contratado para mis. [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Fantasporto 2010 – “La Horde”: Filmaço Para Molhar o Pãozinho…

em: 2010/03/01 | por: | em: Cinema, Crítica, Fantasporto | 4 comentários em Fantasporto 2010 – “La Horde”: Filmaço Para Molhar o Pãozinho… | lido: 3.751 vezes

La Horde” foi o primeiro filme da (minha) sessão dupla de sábado à noite e foi o meu momento preferido do Fantas até agora. Sendo um filme de género muito especifico, o filme de zombies, as expectativas eram as apropriadas, mas o ambiente do festival e a despretensão e imaginação do filme tornaram-no num gozo inesperado e bem-vindo. Grande inteligência dos realizadores em começar o filme como se de um policial noir se tratasse, com um grupo de policias a dirigir-se ao covil de um gang para vingar a morte de um companheiro. Tudo o que que se passa até ao momento em que lá entram, prepara um filme completamente diferente do que é. E isso não é despropositado nem inconsequente, é manipulativo e desconcertante, como todo o bom cinema deve ser.

Realizado por Yannick Dahan e Benjamin Rocher (que estiveram presentes e apresentaram o filme), é um “Assalto ao Arranha-Céus” apocalíptico. A única diferença é que, a partir de certa altura, não há bons nem maus, apenas vivos e mortos. A caracterização das personagens é muito boa para um filme deste género, principalmente por causa do tal inicio enganador, que dá pistas para o desfecho da estória. A caracterização (física) é excelente e, apesar de ser um género muito batido, consegue ter traços de originalidade.

A nível de ambiente e ritmo narrativo “La Horde” é muito bem conseguido. E só no Fantas uma plateia é levada ao rubro, gritando e aplaudindo entusiasticamente, quando a cabeça de um zombie mais persistente e incómodo explode ao tiro certeiro de uma caçadeira. Isso demonstra o grau de exactidão com que o filme foi estruturado, sabendo dosear os picos de acção com um suspense intenso e bem controlado, gerindo as expectativas do público, mas não o defraudando.

A nível de fotografia, há um trabalho brilhante de Julien Meurice. Não é fácil, em espaços tão fechados e com um grau de destruição e gore tão grande, pôr a câmara sempre no sitio certo, e conseguir imagens perfeitas de cenas tão macabras, como a sequência ilustrada pela imagem abaixo.

Os actores são escolhidos a dedo (fisicamente) e cumprem bem nos papéis que lhes são atribuídos, apesar de invariavelmente serem apenas carne para zombie.

“La Horde” foi um filme que me encheu as medidas e, a ver pelas reacções, a (quase) todo o público presente. Não é fita para todos, houve mesmo quem abandonasse a sala. Mas quem ficou aplaudiu, riu, extasiou-se e deu por bem entregue esta sessão. Sou mesmo capaz de apostar que muitos, tal como eu, tiveram a vontade de o rever assim que terminou, Se for premiado, lá estarei no domingo outra vez.

Distanciando-me do facto de o ter visto no Fantas (senão a classificação seria um 5 redondo), ficamos assim:

Classificação: 4/5

Deixo-vos aqui mais umas fotos e o trailer…

{ 2 Comentários… read them below or adicione um }

Tiago Ramos Março 15, 2010 às 00:38

Mesmo sem expectativas, desiludiu-me e deixou-me desinteressado durante grande parte do filme. Apesar das boas cenas de acção (mas muito raras) e da fotografia… o filme fica-se por aquilo que podia ter sido e não foi.

Responder

Lucas Janeiro 16, 2012 às 20:43

Gostei do filme mas as cenas de zumbis são um pouco roboticas e estranhas

Responder

Deixe um comentário