Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Chegou a altura do ano em que vos faço algumas recomendações para o Halloween. Desta vez, e porque o Netflix se tem tornado uma plataforma ca. [...]

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Termina este domingo mais uma edição do Fantasporto, a 37ª, com a exibição de alguns filmes premiados. A entrega de prémios decorreu este. [...]

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

Foi em 2001 que a BMW revelou Clive Owen ao mundo, numa série de curtas-metragens onde um exímio motorista de aluguer era contratado para mis. [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Luis Afonso – O Desaparecimento De Um Grande Cinéfilo.

em: 2010/08/19 | por: | em: Cinema | 4 comentários em Luis Afonso – O Desaparecimento De Um Grande Cinéfilo. | lido: 3.290 vezes

Desapareceu esta noite, aos 69 anos de idade e após mais de 14 anos de árdua luta contra a doença, um homem que dedicou grande parte da vida à divulgação do Cinema em Angra do Heroísmo. Luis Manuel Borges Afonso, funcionário público de dia e agente cultural à noite e fins-de-semana, geriu durante cerca de duas décadas o extinto cinema da Fanfarra Operária Gago Coutinho e Sacadura Cabral. Por lá passaram muitas centenas de filmes que deliciaram e ajudaram a formar muitas dezenas de cinéfilos, desde as últimas novidades até aos filmes que, em constantes reposições, espelhavam não só o seu gosto pessoal, mas ajudavam a criar o gosto pelo divertimento que pode e deve ser o cinema. A par dos filmes mais importantes e populares das décadas de 70 e 80, por lá passaram os primeiros filmes de Jackie Chan, toda a colecção de Bud Spencer e Terence Hill, Cantinflas ou Louis de Funès. Quem desfrutou da sua programação, nas sessões semanais variadas ou nas sessões duplas da matinée de domingo,  ficou certamente com um alargado conhecimento do cinema, das suas vertentes e tendências, dos diferentes autores e filmografias que marcaram várias gerações. Sendo um fervoroso amante dos clássicos, não se cansava de tentar impingir “Doutor Jivago” ou “West Side Story“, os seus preferidos, a quem o rodeava.

A nível pessoal era e será sempre o meu pai. Dele herdei não só o gosto pelo Cinema, mas também alguns valores pelos quais tento nortear a minha vida. Nem sempre foi fácil a nossa relação e, olhando para trás, gostaria de não lhe ter dado tantas preocupações e mais uma ou outra alegria. Ter herdado dele esta paixão pelo cinema, que me faz continuar neste espaço o trabalho que ele em tempos fez na Fanfarra, é para mim um motivo de orgulho, satisfação e valorização pessoal que espero continuar até que a voz me doa. Tudo o resto, como compreenderão, guardarei agora para mim. Obrigado a todos quantos visitam este espaço e mantêm viva essa paixão.

Quanto a nós, pai, até já…

{ 3 Comentários… read them below or adicione um }

Bruno Fins Agosto 19, 2010 às 12:33

Uma GRANDE HOMENAGEM que fazes ao teu pai, e meu tio.
Para além de ser um GRANDE CINÉFILO, também foi um LUTADOR,
quando menos se esperava, deu a volta por cima.
Deu-nos uma GRANDE LIÇÃO DE VIDA, e mais importante ainda,
NUNCA DESISTIU DE VIVER !!!

Responder

Mónica Agosto 19, 2010 às 14:58

Não tive o prazer de conhecer pessoalmente o Sr. Luís, contudo foram-me dadas a saber algumas histórias e claro, o seu gosto pelo cinema. Por certo um detentor de uma grande bagagem cultural, que deixou de herança à família e amigos. Que todo o seu valor e os bons momentos fiquem em eterna memória.
Que descanse em Paz!

Responder

Knoxville Agosto 20, 2010 às 14:36

Os meus sentimentos Pedro. Muita força.

Miguel.

Responder

Deixe um comentário