Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Termina este domingo mais uma edição do Fantasporto, a 37ª, com a exibição de alguns filmes premiados. A entrega de prémios decorreu este. [...]

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

Foi em 2001 que a BMW revelou Clive Owen ao mundo, numa série de curtas-metragens onde um exímio motorista de aluguer era contratado para mis. [...]

Sugestões para o Halloween 2016.

Sugestões para o Halloween 2016.

Mais uma vez, venho-vos sugerir alguns filmes para esta altura do ano em que procuramos emoções fortes: o Halloween. São todos filmes deste a. [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Oscars 2010 – Nomeado Para Curta de Animação 2/5 – “Granny O’Grimm’s Sleeping Beauty”.

em: 2010/02/11 | por: | em: Cinema, Crítica | 1 comentário em Oscars 2010 – Nomeado Para Curta de Animação 2/5 – “Granny O’Grimm’s Sleeping Beauty”. | lido: 2.912 vezes

Depois de  “French Roast“, este é o segundo dos cinco nomeados para o Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação. Chama-se “Granny O’Grimm’s Sleeping Beauty“,e é o primeiro de uma série de filmes em que uma avó aparentemente inofensiva conta a um dos netos uma estória de embalar. Escrito por Nicky Phelan (que é também o realizador) e Kathleen O’Rourke (que dá também voz à personagem do título), é um filme que infelizmente não vai muito além da sua premissa.

A estória deste primeiro filme é “A Bela Adormecida” e a pequena ‘vítima’ é a neta da aparentemente adorável senhora. O site oficial da série descreve-a como uma mulher atormentada, depois de uma vida de ódio contra o mundo e tudo o que ele contém. O objectivo deste filme (e dos que se seguirão), é encontrar nos contos dos irmãos Grimm pretextos para as explosões de raiva da senhora. Só que tudo é inconsequente e nem há um 3º acto, uma moral que se imponha à redundância da premissa.

E é uma pena que uma animação tão prodigiosa seja desperdiçada num argumento tão tosco. O filme combina animação 3d (a realidade, onde a estória é contada) e 2d (o mundo de faz-de-conta onde a estória se passa). Tudo é impecávelmente bem executado, desde o desenho, a iluminação e o ritmo narrativo. Peca pelo argumento e pela interpretação excessiva de O’Rourke. Parece que a academia se deixou levar pelo embrulho e se esqueceu do conteúdo, nomeando este filme Irlandês e esquecendo o brilhante “Partly Cloudy” da Pixar. Tenho pena...

Aqui fica o filme para (como se diz por esta altura em Hollywood) vossa consideração.

Deixe um comentário