“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

Fantasporto 2016 – Os Vencedores.

Fantasporto 2016 – Os Vencedores.

Decorreu hoje ao inicio da tarde a conferencia de imprensa para divulgação dos premiados da 36ª edição do Fantasporto – Festival Int. [...]

Fantasporto 2016 – Os Filmes.

Fantasporto 2016 – Os Filmes.

Começa hoje a competição oficial do Fantasporto 2016 e, como prometido, aqui vos deixo os posters e trailers de uma seleção de filmes que . [...]

Cinco novidades e um clássico para o Halloween.

Cinco novidades e um clássico para o Halloween.

Porque é fim de semana de Halloween, trago-vos algumas sugestões de filmes que vos proporcionarão alguns arrepios, gargalhadas e até algum n. [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Oscars 2011 – Os Vencedores.

em: 2011/02/28 | por: | em: Cinema | 1 comentário em Oscars 2011 – Os Vencedores. | lido: 13.424 vezes

Terminada mais uma cerimónia dos Óscares, a 83ª, a lista de vencedores é a que se segue:

Melhor Filme
• “O Discurso do Rei

Melhor Realizador
Tom Hooper, por “O Discurso do Rei

Melhor Actor
Colin Firth, por “O Discurso do Rei

Melhor Actriz
Natalie Portman, por “O Cisne Negro

Melhor Actor Secundário
Christian Bale, por “The Fighter

Melhor Actriz Secundária
Melissa Leo, por “The Fighter

Melhor Argumento Original
David Seidler, por “O Discurso do Rei

Melhor Argumento Adaptado
Aaron Sorkin, por “A Rede Social

Melhor Longa-Metragem de Animação
• “Toy Story 3

Melhor Filme de Língua Estrangeira
• “In a Better World” (Dinamarca)

Melhor Direcção Artística
• “Alice no País das Maravilhas“, por Robert Stromberg e Karen O’Hara

Melhor Fotografia
• “A Origem“, por Wally Pfister

Melhor Guarda-Roupa
• “Alice no País das Maravilhas“, por Colleen Atwood

Melhor Montagem
• “A Rede Social“, por Angus Wall e Kirk Baxter

Melhor Caracterização
• “O Lobisomem“, por Rick Baker e Dave Elsey

Melhor Banda-sonora Original
Trent Reznor e Atticus Ross, por “A Rede Social

Melhor Canção Original
We Belong Together (“Toy Story 3“)

Melhores Efeitos Sonoros
• “A Origem“, por Lora Hirschberg, Gary A. Rizzo e Ed Novick

Melhor Som

• “A Origem“, por Richard King

Melhores Efeitos Visuais
• “A Origem

Melhor Documentário – Longa-metragem
• “Inside Job – A Verdade da Crise“, por Charles Ferguson e Audrey Marrs

Melhor Documentário – Curta-metragem
• “Strangers No More“, por Karen Goodman e Kirk Simon

Melhor Curta-metragem de Animação
• “The Lost Thing“, por Shaun Tan e Andrew Ruhemann

Melhor Curta-metragem de Imagem Real
• “God of Love“, por Luke Matheny

A cerimónia decorreu a grande velocidade, não dando oportunidade a que ocorressem muitos momentos mortos. Os prémios foram entregues sem pausas numa cerimónia que, sem deslumbrar, foi bem apresentada e sem grandes incidentes (com excepção para a F Bomb de Melissa Leo). Destaque para algumas presenças fortes como Kirk Douglas e Eli Wallach, a merecerem grandes ovações, e Billy Crystal a demonstrar porque é que devia ser o apresentador vitalício da cerimónia. Os momentos musicais foram curtos mas cumpriram bem a sua missão.

Quanto aos prémios, destaco a 2ª vitória à 20ª nomeação de Randy Newman, pela melhor canção original, que protagonizou o discurso mais hilariante da noite. A surpresa da noite acabou por ser a vitória de “O Discurso Do Rei” nas categorias de melhor realizador e melhor filme. Falharam as minhas previsões que davam como vencedor “A Rede Social“. Ponto positivo para os 4 Óscares de “Inception” (tantos quantos o filme vencedor), o meu preferido. Nas interpretações, não houve surpresas, ganharam os grandes preferidos. Último destaque para “True Grit“, que saiu da cerimónia sem nenhum dos 10 óscares para que estava nomeado.

Resumindo, não foi uma grande cerimónia, apesar de não ser maçadora como em anos anteriores. Não ficará na estória, nem pela criatividade, nem pelo palmarés. Obrigado àqueles que seguiram os meus comentários no facebook. Para o ano há mais, de preferência com Billy Crystal…

{ 1 Comentário… leia mais abaixo ou adicione um }

Ablai Abril 3, 2013 às 17:27

I see what you are saying that rmineds me of the movie Zodiac directed by David Fincher, that movie feels a little bit drawn out but it is definitely symbolic of the incredibly drawn out investigation into the Zodiac killer. I know that an amazing acting performance is worth noting, but I don’t always thing that means the film that actor was in should win best picture. In my opinion, the Social Network was definitely better than King’s Speech in different ways but have you seen 127 Hours? That film is so incredible, and if you are looking for a movie that will make you feel what the characters are dealing with, that is the one. James Franco did an incredible job and it’s amazing that Danny Boyle could make such a fast-paced, flowing movie with such a slow-moving true story. I guess my pick would be that or Social Network, but King’s Speech was definitely a fantastic film.

Responder

Deixe um comentário