“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

Mike Flanagan. Quem costuma visitar este espaço sabe o apreço que tenho pelo homem, que considero o mais sólido e inventivo realizador a tra. [...]

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Já tinha dado por encerrada esta edição do Fantasporto 2020, a 40ª, quando decidi ir à sessão dos premiados da secção de cinema portugu. [...]

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Já há uns anos que não fazia uma lista de melhores do ano, mas este ano, talvez por termos completado 10 anos de actividade, resolvi retomar . [...]

Sugestões para o Halloween 2019.

Sugestões para o Halloween 2019.

Mais uma vez, trago-vos algumas sugestões de filmes para o Halloween, depois de ter falhado o ano passado. À semelhança de 2017, todas as sug. [...]

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

Para terminar a iniciativa de comemoração do 10º aniversário do laxanteCULTURAL, temos o amável contributo da Rita Santos, a.k.a. FilmPuff,. [...]

Posters e Trailer para “The Beaver”, Com Mel Gibson.

em: 2010/12/04 | por: | em: Cinema | Sem comentários em Posters e Trailer para “The Beaver”, Com Mel Gibson. | lido: 2.497 vezes

Sempre que leio ou vejo alguma coisa sobre o novo filme de Jodie Foster com Mel Gibson, fico com uma dúvida semelhante à do ovo e da galinha: o que é que aconteceu primeiro? O descontrolo de Gibson (através de consumo excessivo de álcool, comentários anti-semitas tornados públicos, problemas matrimoniais e posterior separação, nova namorada grávida e posteriores ameaças de morte e violência, gravadas pela própria e divulgadas pelos média no mundo inteiro), ou o filme, que conta a estória de um homem que perdeu o controle sobre si mesmo e perde a família, o trabalho e o respeito dos outros? Seja um caso de aproveitamento ou não, a verdade é que este “The Beaver” teve nos problemas de Gibson um enorme aproveitamento promocional. Para os cinéfilos no entanto, um filme de Gibson é sempre uma boa proposta, devido ao seu enorme e incontestável talento, tornando mesmo filmes com uma má premissa ou verosimilhança num bom entretenimento (“Forever Young” vem-me imediatamente à cabeça). Ter Foster a realizar e interpretar é motivo também acrescido para não desprezar um filme que tem tudo para correr mal: Refugiando-se na enorme depressão que o atingiu, Walter Black (Gibson), passa a interagir com o mundo através de um fantoche, como medida terapêutica. O que é facto, é que, pelo trailer e devido aos nomes envolvidos, este parece mesmo ser um interessante e motivador filme, com intencionalidade de aproveitar a desgraça de Gibson ou não. Fiquem com mais um poster e o trailer e tirem as vossas próprias conclusões…

Deixe um comentário