Fantasporto 2018 – Vencedores e horários das sessões dos filmes premiados.

Fantasporto 2018 – Vencedores e horários das sessões dos filmes premiados.

Chega amanhã ao fim a 38ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, e já existe palmarés. Antes de o divul. [...]

Fantasporto 2018 – Dias 1, 2 e 3.

Fantasporto 2018 – Dias 1, 2 e 3.

Concluímos a divulgação da programação do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, no Grande Auditório do Rivoli – Te. [...]

A Floresta Das Almas Perdidas – Terror Luso, Melancólico e Poético.

A Floresta Das Almas Perdidas – Terror Luso, Melancólico e Poético.

Há alguns anos que conheço e acompanho o trabalho do José Pedro Lopes e do Anexo 82. Com uma interessante colecção de curtas-metragens no . [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

Posters e Trailer Restrito Para “Oldboy”, o Remake de Spike Lee.

em: 2013/07/14 | por: | em: Cinema | Sem comentários em Posters e Trailer Restrito Para “Oldboy”, o Remake de Spike Lee. | lido: 1.861 vezes

Desde que se soube que Spike Lee ia fazer o remake americano de “Oldboy“, o hiper violento e atormentado filme premiado em Cannes de Chan-wook Park, que várias vozes se fizeram ouvir a gritar ‘Heresia’ ( a minha incluída). E não é por Lee, mas o filme de Park é tão especial que qualquer tentativa, ainda mais americana, de o recriar só pode resultar em tragédia. O “Oldboy” de 2003 é uma brutal e fascinante viagem ao interior da mente humana e a um dos mais primários sentimentos: o ódio. Além disso é uma estória de vingança que ultrapassa todas as barreiras da moral e dos bons costumes, algo que o conservadorismo ( e hipocrisia) americano não deixará passar em branco. E agora que temos um primeiro trailer (o restrito) esses receios confirmam-se. A cena em que a personagem de Josh Brolin vê a filha na televisão mostra claramente a quem viu o filme original que se optou aqui por uma abordagem mais segura e menos atrevida. Mas, no geral, tudo aqui tem bom aspecto, e a recriação de algumas cenas icónicas está muito bem conseguida. O leque de actores é excelente, além de Brolin temos Sharlto Copley, Samuel L. Jackson, Elizabeth Olsen e Michael Imperioli, e o nível de violência parece querer igualar o original. Para quem não o viu, é a estória de um homem que é raptado no dia de aniversário da filha e mantido prisioneiro durante 15 anos (20 no remake), até ser libertado e começar a viagem de descoberta (de quem o aprisionou e porquê) e vingança. O original é um dos melhores filmes da década passada (e deste século) e espero sinceramente que Lee não o tenha estragado muito, embora o facto de lhe ter tocado já é estrago suficiente.

Deixe um comentário