“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

Mike Flanagan. Quem costuma visitar este espaço sabe o apreço que tenho pelo homem, que considero o mais sólido e inventivo realizador a tra. [...]

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Já tinha dado por encerrada esta edição do Fantasporto 2020, a 40ª, quando decidi ir à sessão dos premiados da secção de cinema portugu. [...]

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Já há uns anos que não fazia uma lista de melhores do ano, mas este ano, talvez por termos completado 10 anos de actividade, resolvi retomar . [...]

Sugestões para o Halloween 2019.

Sugestões para o Halloween 2019.

Mais uma vez, trago-vos algumas sugestões de filmes para o Halloween, depois de ter falhado o ano passado. À semelhança de 2017, todas as sug. [...]

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

Para terminar a iniciativa de comemoração do 10º aniversário do laxanteCULTURAL, temos o amável contributo da Rita Santos, a.k.a. FilmPuff,. [...]

Prémios Sophia 2015 – Os Vencedores.

em: 2015/04/03 | por: | em: Cinema | Sem comentários em Prémios Sophia 2015 – Os Vencedores. | lido: 2.988 vezes

Decorreu esta noite a entrega dos prémios Sophia 2015, da Academia Portuguesa de Cinema, numa cerimónia ensombrada pela morte de Manoel de Oliveira. Bem apresentada por Cláudia Semedo, a cerimónia teve um salto qualitativo enorme em relação à do ano passado. Os grandes vencedores da noite foram, sem surpresa, “Os Maias” e “Os Gatos Não Têm Vertigens“. Destaque ainda para os discursos de Eunice Muñoz, Luís Miguel Cintra (lido por Inês de Medeiros) e Maria do Céu Guerra. A lista de vencedores é a que se segue…

Melhor Filme
A Vida Invisível” – Rosa Filmes
“O Grande Kilapy” – David&Golias
“Os Gatos não têm Vertigens” – MGN Filmes
“Os Maias – Cenas da Vida Romântica” – Ar de Filmes

Melhor Curta-Metragem Documentário
“À Beira Da Europa” de Bernardo Cabral
“Le Boudin” de Salomé Lamas
“Luz Clara” de Miguel Lima e Vasco Vieira

“O Meu Outro País” De Solveig Nordlund

Melhor Curta-Metragem de Animação
20 Desenhos e Um Abraço” de José Miguel Ribeiro
“Canto dos 4 Caminhos” de Nuno Amorim
“Foi o Fio” de Patrícia Figueiredo
Fuligem” de David Doutel e Vasco Sá

Melhor Curta-Metragem de Ficção
Cinema” de Rodrigo Areias
“Coro dos Amantes” de Tiago Guedes
Encontradouro” de Afonso Pimentel
Miami” De Simão Cayatte
“Os Sonâmbulos” de Patrick Mendes

Melhor Documentário em Longa – Metragem
Guerra ou Paz” de Rui Simões – Real Ficção
“Fado Camané” de Bruno de Almeida – BA Filmes
“E Agora? Lembra-me” de Joaquim Pinto – C.R.I.M. Produções
“Alentejo Alentejo” de Sérgio Tréfaut – Faux

Melhor Canção Original
Fora da Lei” versão rock, interpretado pelos Criança Queimada – “Nirvana”
“Unforgettable”, letra e interpretação de Daniela Galbin – “Pecado Fatal”
“Clandestinos do Amor” de Ana Moura – “Os Gatos não têm Vertigens”
“Seta” de André Sardet e Mayra Andrade – “Sei Lá”

Melhor Banda Sonora Original
Nuno Maló – “Doce Amargo Amor”
Filipe Coutinho – “Pecado Fatal”
Luís Cília – “Os Gatos não têm Vertigens”
José M. Afonso – “Sei Lá”

Melhor Som

Hugo Leitão e Branko Neskov – “O Grande Kilapy”
Vasco Pedroso, Branko Neskov e Elsa Ferreira – “Os Gatos não têm Vertigens”
Pedro Melo e Branko Neskov – “Getúlio”
Jorge Saldanha – “Os Maias”

Melhor Montagem

Rodrigo Pereira, Rui Alexandre Santos – “A Vida Invisível”
Pedro Ribeiro – “Os Gatos não têm Vertigens”
Pedro Ribeiro – “Sei Lá”
João Braz – “Os Maias”

Melhor Maquilhagem e Cabelos 

Sano de Perpessac – “O Grande Kilapy”
Susana Correia e Fátima Vieira – “Os Gatos não têm Vertigens”
Iris Peleira, Mário Leal – “Variações de Casanova”
Sano de Perpessac – “Os Maias”

Melhor Guarda-Roupa

Teresa Campos – “O Grande Kilapy”
Os Burgueses – “Os Gatos não têm Vertigens”
Lucha d’Orey – “Variações de Casanova”
Silvia Grabowski – “Os Maias”

Melhor Caracterização / Efeitos especiais

Sano de Perpessac – “O Grande Kilapy”
Sandra Pinto – “Eclipse em Portugal”
Iris Peleira – “Cadências Obstinadas”
Sano de Perpessac – “Os Maias”

Melhor Direcção Artística
João Torres – “O Grande Kilapy”
João Torres – “Os Gatos não têm Vertigens”
Isabel Branco – “Variações de Casanova”
Silvia Grabowski – “Os Maias”

Melhor Direcção de Fotografia
Leonardo Simões – “A Vida Invisível”
José António Loureiro – “Os Gatos não têm Vertigens”
André Szankowski – “Cadências Obstinadas”
João Ribeiro – “Os Maias”

Melhor Argumento Original

Luís Alvarães e Luís Carlos Patraquim – “O Grande Kilapy”
Vítor Gonçalves, Jorge Braz, Mónica Santana Baptista – “A Vida Invisível”
Tiago Santos – “Os Gatos não têm Vertigens”
Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira – “Virados do Avesso”

Melhor Atriz Secundária 
Fernanda Serrano – “Os Gatos não têm Vertigens”
Maria João Pinho – “Os Maias”
São José Correia – “O Grande Kilapy”
Silvia Rizzo – “O Grande Kilapy”

Melhor Ator Secundário
João Perry – “Os Maias”
Manuel Wiborg – “O Grande Kilapy”
Nicolau Breyner – “Os Gatos não têm Vertigens”
Pedro Inês – “Os Maias”

Melhor Realizador
Zézé Gamboa – “O Grande Kilapy”
Vítor Gonçalves – “A Vida Invisível”
António-Pedro Vasconcelos – “Os Gatos não têm Vertigens”
João Botelho – “Os Maias”

Melhor Atriz Principal
Leonor Seixas – “Sei Lá”
Maria do Céu Guerra – “Os Gatos não têm Vertigens”
Maria João Pinho – “A Vida Invisível”
Sara Barros Leitão – “Pecado Fatal”

Melhor Ator Principal
Filipe Duarte – “A Vida Invisível”
Graciano Dias – “Os Maias”
João Jesus – “Os Gatos não têm Vertigens”
João Lagarto – “O Grande Kilapy”

Prémios Carreira

Eunice Muñoz

Luís Miguel Cintra

Deixe um comentário