Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Sugestões para o Halloween 2017 no Netflix.

Chegou a altura do ano em que vos faço algumas recomendações para o Halloween. Desta vez, e porque o Netflix se tem tornado uma plataforma ca. [...]

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Fantasporto 2017 – Os Vencedores.

Termina este domingo mais uma edição do Fantasporto, a 37ª, com a exibição de alguns filmes premiados. A entrega de prémios decorreu este. [...]

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

“The Escape” volta a juntar a BMW a Clive Owen.

Foi em 2001 que a BMW revelou Clive Owen ao mundo, numa série de curtas-metragens onde um exímio motorista de aluguer era contratado para mis. [...]

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

“Os Vampiros”, de Filipe Melo e Juan Cavia – Crítica.

Antes de mais, quem conhece este cantinho sabe que eu sou um fã do Filipe Melo e do Juan Cavia. Já antes escrevi com entusiasmo sobre alguns . [...]

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

“Nada Tenho De Meu” – A Utopia da Liberdade.

Antes de mais, devo dizer que sou fã do “José e Pilar“, do Miguel Gonçalves Mendes, e era com expectativa que aguardava o seu pr. [...]

R.I.P. Vasco Granja (até sempre!)

em: 2009/05/04 | por: | em: Cinema, Televisão | 2 comentários em R.I.P. Vasco Granja (até sempre!) | lido: 3.391 vezes

Este Senhor da foto foi, sem sombra de dúvida, um dos responsáveis maiores pelo despertar do meu interesse pelo cinema (de animação em concreto). Entre 1974 e 1990 apresentou mais de 1000 programas de animação na RTP. Para muitos, nos quais me incluo, o desespero de esperar pelo fim do programa para ver animação americana que fazia as nossas delícias (Pantera Cor-De-Rosa, Bugs Bunny, etc.), deu lugar à preplexidade, ao deslumbramento e apreciação do cinema de animação Europeu (sobretudo da então Checoslováquia), abrindo-nos horizontes culturais e o imaginário a novas linguagens e formas de comunicação. Só recentemente matei saudades, que não sabia que tinha, da voz ( e que saudades, e que voz) no programa “Pessoal e Transmissível” da TSF.

Nascido em 1925, Vasco Granja faleceu esta madrugada com 83 anos. Fica a obra, a memória e a saudade. Em jeito de homenagem, que trintão não se lembra disto?

Hoje, infelizmente, faz todo o sentido a palavra que, por causa dele, milhares de portugueses sabiam dizer:

{ 2 Comentários… read them below or adicione um }

Nuno Couto Maio 4, 2009 às 23:50

Um grande adeus a este senhor que me encantou e educou na minha infância.
Mais nenhum na televisão portuguesa apareceu a apresentar animação da força como ele o fazia.
Ate me sinto impotente quando o meu filho com menos de dois anos não tem um único programa de animação de jeito, e com tantos canais que hoje temos. E só chinocada e violência
Mas aqui ficam os meus pêsames pela sua perda.

Responder

Mónica Teixeira Carvalho Maio 7, 2009 às 16:48

Realmente é uma grande perda para o nosso país, principalmente para a geração do “30”!
Infelizmente, os miúdos de hoje não vão conseguir crescer com animação infantil de qualidade…
Paz à sua alma!

Responder

Deixe um comentário