Sugestões para o Halloween 2020 – Streaming.

Sugestões para o Halloween 2020 – Streaming.

Volto às minhas recomendações para o Halloween e, para o ano de 2020, de filmes e séries que podem ser vistas nas três plataformas de strea. [...]

“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

“The Haunting Of Bly Manor” – Flanagan de Luxo.

Mike Flanagan. Quem costuma visitar este espaço sabe o apreço que tenho pelo homem, que considero o mais sólido e inventivo realizador a tra. [...]

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Fantasporto 2020 – Dia 8 de Março.

Já tinha dado por encerrada esta edição do Fantasporto 2020, a 40ª, quando decidi ir à sessão dos premiados da secção de cinema portugu. [...]

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Cinema 2019 – Os Melhores (e piores).

Já há uns anos que não fazia uma lista de melhores do ano, mas este ano, talvez por termos completado 10 anos de actividade, resolvi retomar . [...]

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

10 Anos / 20 Escolhas #10 – 2018.

Para terminar a iniciativa de comemoração do 10º aniversário do laxanteCULTURAL, temos o amável contributo da Rita Santos, a.k.a. FilmPuff,. [...]

Sugestões para o Halloween 2020 – Streaming.

em: 2020/10/29 | por: | em: Cinema, Crítica, Destaque, Netflix, Televisão | Sem comentários em Sugestões para o Halloween 2020 – Streaming. | lido: 400 vezes

Volto às minhas recomendações para o Halloween e, para o ano de 2020, de filmes e séries que podem ser vistas nas três plataformas de streaming que frequento: Netflix, HBO Portugal e Amazon Prime Video. Dentro do género do terror, claro, há propostas para todos os gostos: novidades, clássicos e até alguns títulos que passaram despercebidos e para os quais vale a pena chamar a atenção. Aqui estão elas…

“The Haunting of Bly Manor”

Para começar, e porque nunca fiz sugestões de Halloween que não tivessem um filme do Mike Flanagan, sugiro a série mais recente que fez para a Netflix. Mas já escrevi sobre “The Haunting Of Bly Manor“, e tudo o que precisam saber está aqui.

Classificação: ★★★★

Link

“Ash vs Evil Dead”

Ash vs The Evil Dead” foi uma das mais espantosas, divertidas e irreverentes séries de terror dos últimos anos. Na linha dos clássicos de Sam Raimi, e sob a sua direcção, é o regresso de Ash Williams (Bruce Campbell) e da sua luta contra os Deadites. Com um excelente elenco de apoio (Ray Santiago, Dana DeLorenzo e Lucy Lawless), é nas sequências de humor e terror que “Ash vs Evil Dead” surpreende, com a sua mistura de CGI e efeitos práticos. E sangue. Muito sangue. São 30 episódios de meia hora que são, acima de tudo, um grande e arrepiante divertimento.

Classificação: ★★★★½

Link

“House Of 1000 Corpses”

Já se pode considerar um clássico, esta estreia na realização de Rob Zombie de 2003. Violento, gore e excessivo são os adjectivos mais comuns para o caracterizar, e tornaram-no num filme de culto para os amantes do género. Com influências claras de Ed Gein e “The Texas Chainsaw Massacre“, conseguiu juntar à galeria de icónicas figuras do cinema de terror a personagem de Captain Spaulding, interpretado pelo recentemente falecido Sid Haig, que a repetiria em mais dois filmes de Zombie. No elenco estão caras conhecidas como Rainn Wilson, Chris Hardwick ou Walton Goggins. Para fãs hardcore do género.

Classificação: ★★★★

Link

A HBO Portugal é a plataforma de streaming que menos atenção dá ao terror, sendo que a oferta disponível no separador do género é quase uma anedota. No entanto, há que destacar alguns títulos que são uma boa sugestão para os próximos dias.

“Channel Zero”

Channel Zero” é uma excelente série de terror do canal SyFy, baseada em contos do website Creepypasta, termo criado para definir as estórias de terror ou lendas urbanas que são divulgadas através da internet em fóruns e demais redes sociais de modo “viral”, espalhando-se rapidamente no universo online. Cada temporada corresponde a uma estória diferente, criando uma antologia semelhante a “American Horror Story“, mas em bom. Com apenas 6 episódios em cada temporada (existem 4), não há momentos de tédio ou para ‘encher chouriços’. É tensa e com refinado imaginário visual. Bem realizada e interpretada, destaco a presença do arrepiante John Carrol Lynch (o Twisty the Clown de AHS) na segunda temporada e do falecido Rutger Hauer na terceira.

Classificação: ★★★★

Link

“Lovecraft Country”

Criada por Misha Green e produzida por Jordan Peele e J.J. Abrams, entre outros, é a jornada de um jovem negro pela América dos anos 50, em busca do pai, com o imaginário de H.P. Lovecraft como pano de fundo. Apesar de ser apenas produzida por Peele, nota-se a sua influência pela forma como as questões raciais são abordadas, à semelhança do que acontecia em “Get Out” e “Us“. O imaginário de Lovecraft é bem explorado, embora gostasse de ter visto mais Cthulhu (basicamente, é só o que está no trailer). Mas há monstros à farta, humanos e não só, e grandes sequências de acção.

Classificação: ★★★★

Link

“A Floresta Das Almas Perdidas”

Uma das coisas que na HBO Portugal é melhor do que na concorrência é o seu catálogo nacional. E não estou a falar de séries internacionais com um ou outro actor português, estou a falar de conteúdo criado em Portugal, por portugueses e adquirido pela HBO para o seu catálogo. É de louvar. E estou muito feliz por ter chegado a vez do José Pedro Lopes poder chegar a muito mais público com esta belíssima primeira longa-metragem através desta plataforma. Sobre o filme, já escrevi anteriormente e podem ler tudo aqui. Ou a apreciação que o Armindo Paulo Ferreira lhe fez aqui.

Classificação: ★★★★½

link

Uma vez que a Amazon não está oficialmente em Portugal, muito do seu conteúdo não está legendado em português, como é o caso de um dos filmes que lhes sugiro. Mas todo o conteúdo original está, e muitas outras séries e filmes mais clássicos também. E o seu catálogo é muito extenso, variado e bom.

“The Vast Of Night”

Não é um filme de terror, mas é um dos filmes mais tensos e inventivos dos ultimos tempos. No final dos anos 50, no limiar da era espacial dos Estados Unidos, um radialista e uma operadora de central telefónica deparam-se com uma estranha frequência audio, e tentam descobrir o que significa. Sendo um filme de baixo orçamento, o que mais impressiona é a sua qualidade estética. Toda a fotografia é hipnótica, quer em termos de iluminação quer de enquadramentos. A narrativa tem um ritmo lento e pausado, assente nas interpretações. É um belíssimo pequeno filme, que nos deixa desconfortáveis, mesmo quando não se passa quase nada no ecrã. Excelente estreia na realização de Andrew Patterson. E tem um raio de um travelling que atravessa toda a pequena localidade que é simplesmente assombroso.

Classificação: ★★★★

Link

“Las Tinieblas”

Las Tinieblas” é um pequeno filme mexicano de 2016, na linha do aplaudido “It Comes By Night“, que curiosamente estreou um ano depois. Um homem vive com os três filhos numa floresta que volta e meia é atormentada por um monstro que ninguém vê. Num cenário pós-apocaliptíco, em que o ar exterior é irrespirável e é necessário esconderem-se quando o monstro se aproxima, tudo neste filme é sugestão e tensão. O seu trunfo é que tudo é sustentado por uma fotografia prodigiosa, tão bela quanto inquietante, e por um desenho de som tão atmosférico quanto claustrofóbico. A suportar tudo isto, sólidas realização e interpretações. “las Tinieblas” é a prova de que há filmografias por explorar, que fazem das suas fraquezas forças e são tão ou mais estimulantes do que as convencionais.

Classificação: ★★★★

Link (este filme só tem legendas em espanhol, inglês e francês)

“Poltergeist”

Para terminar, mais um clássico, que urge apresentar às novas gerações. “Poltergeist” é considerado um filme maldito, e há até documentários sobre as várias fatalidades que aconteceram a vários elementos da sua equipa. Realizado por Tobe Hooper (embora as más linguas digam só serviu para manter Steven Spielberg ‘respeitável’), é um excelente filme de terror, com cenas que se tornaram icónicas e facilmente reconhecíveis. É tão fascinante o que está no ecrã como todos os mitos que o rodeiam. Continua, tantos anos depois, a ser realmente assustador, e obrigatório para quem gosta do género.

Classificação: ★★★★½

Link

Deixe um comentário